4x1 - 2 Na estrada

Rumo a Lençóis – Chapada Diamantina (BA)

Rota, paisagem e a 1ª troca de óleo da Tanajura

Entramos na Bahia sob o forte sol do meio dia e logo na divisa nos deparamos com as simpáticas placas: “Sorria você está na Bahia”.
A BR 349 apresenta excelentes condições. É uma enorme reta que corta que corta o Oeste Baiano através de belos cultivos como o algodão e passando pelas cidades de Correntina, Santa Maria da Vitória findando em Bom Jesus da Lapa. De Bom Jesus pegamos a BA 160 até Ibotirama e em seguida a BR 242 até o município de Lençóis. A BA 160 está pavimentada, mas com trechos bem ruins em seu início. Já a BR 242 oscila entre trechos muito bons e outros um pouco esburacados, mas com um recente trabalho de pavimentação. Esse é um ponto alto percebido ao longo de todo esse trajeto! A Bahia nos surpreendeu positivamente com suas boas estradas em sua região Oeste e Norte. AS BRs favorecem as grandes plantações que as acompanham ao longo de boa parte do trajeto, entre outras grandes cargas que rumam às importantes cidades baianas como: Vitória da Conquista, Feira de Santana e Salvador – na rota de ambas as estradas.

Foi nesse caminho que a Tanajura atingiu seus primeiros 5 mil Km e, optando por uma postura preventiva, decidimos já realizar sua primeira troca de óleo. As informações sobre troca de óleo, tipo de óleo lubrificante a ser usado, bem como sobre a troca preventiva de outras peças, devem constar no manual do proprietário e no de manutenção (ambos vêm no veículo). Após olharmos o tipo de lubrificante recomendado pela Nissan no manual, paramos no primeiro posto para fazermos a troca do óleo. A vantagem de se trocar os óleos nos postos é que normalmente não se cobra a mão de obra doo serviço, mas somente o valor dos lubrificantes – que podem ser adquiridos no próprio posto.

Vale ressaltar que as frequências dessas trocas devem estar associadas ao tipo de uso que é feito do veículo. A própria concessionária pode, e deveria, orientar o proprietário sobre essas trocas de acordo ao tipo de rodagem do veículo: uso em condições severas ou não severas. No manual de manutenção da Tanajura constavam os tipos de utilização que a enquadrariam em cada uma das categorias, bem como a frequência que deveríamos realizar a troca de cada peça. Além disso, os manuais do veículo costumam ensinar como fazer algumas trocas básicas. É muito importante seguir à risca essas regras da concessionária para correr o risco de perder a garantia do veículo – no caso de um veículo novo.

Após cuidarmos um pouco da Tanajura seguimos para nossas próximas aventuras.

Até o próximo post!