Categorias Dicas

Sedan, Coupé, Hatch, SUV? Como assim?

Olá pessoal! Alguma vez vocês já ficaram confusos quando alguém falou que o “modelo sedan é mais bonito”, ou que “prefere o hatch”, que os “SUVs estão na moda”? Sabe do que estas pessoas estão falando? Estão falando da carroceria dos carros. Quer entender? Então vamos lá!

Sedan: começamos pelo Sedan, que é uma das categorias mais didáticas. A carroceria do Sedan é dividida em três volumes, ou três compartimentos separados: o compartimento do motor, que é a frente do carro (se ele tiver o motor na frente, como a imensa maioria), a cabine, onde nós ficamos, e o porta-malas, em um compartimento separado, que se destaca da cabine na parte de trás. Se você consegue distinguir bem estes três elementos externamente, trata-se de um Sedan.

O Honda Civic é um típico Sedan

Hatchback: também chamado de hatch, este tipo de modelo também é fácil de identificar. Tem dois volumes distintos: o cofre do motor e a cabine. O porta-malas deste tipo de carro é integrado à cabine, que termina subitamente, quase em linha reta.

O Renault Sandero define bem o hatchback.

Perua ou Station Wagon: recebem outros nomes como wagon e break. Assim como em um hatch, o porta-malas é integrado à cabine, mas ele é maior, especialmente na porção atrás do eixo traseiro. Os porta-malas costumam ser amplos e de fácil acesso, o que torna este tipo de carro perfeito para viagens com a família.

 

As peruas, como a Volkswagen Parati, são carros para toda a família.

Monovolume: também chamado de Minivan ou MPV. Aqui as coisas começam a se misturar. O desenho do carro integra, em um mesmo conjunto, o cofre do motor e a cabine. A separação visual entre o compartimento do motor e a cabine é muito sutil, sendo difícil diferenciar o volume do cofre do resto do carro. O resultado é um veículo que aproveita muito bem o espaço interno sem precisar ser um carro grande.

O Honda FIT é um típico monovolume.

 

Cupê: O cupê, (do francês, coupé) é um desenho clássico, muito comum em carros esportivos. Normalmente se distinguem dois volumes: o do cofre do motor e a carroceria. Logo após as portas, a linha do teto começa a descer. Com isso, sobra pouco ou nenhum espaço para o banco de trás. Em compensação, o desenho é belo, a aerodinâmica é melhorada e a distribuição de peso também, sendo, por isso, a carroceria perfeita para um carro de alto desempenho. Os cupês, normalmente, têm apenas duas portas, mas há exceções.

Observe como o teto do Kia Cerato Koup começa a descer depois da porta.

 

Utilitários Esportivos ou SUVs: A sigla vem do inglês Sport Utility Vehycle. No passado estes veículos eram concebidos tendo como base as caminhonetes (que são veículos utilitários). Suas características principais são: pneus e rodas grandes, formato externo lembrando peruas, porém maiores, e suspensões mais altas, resultando em um veículo maior, com aparência robusta e, muitas vezes, alguma aptidão para uso fora de estrada.

 

O Toyota SW4 é bom exemplo de SUV.

Jipe: Veículo concebido para trafegar por terrenos difíceis, fora da estrada. Normalmente os Jipes têm tração nas quatro rodas, carroceria curta e a suspensão bastante elevada, bem como pneus grandes e robustos para ajudar a superar os obstáculos. O Jipe surgiu para uso militar, nos Estados Unidos, mas logo ganhou as ruas conquistando milhões com sua valentia e robustez.

O Jeep Wrangler preserva a essência dos primeiros Jipes.

Crossover: cada vez mais, os designers misturam as diferentes características dos tipos mais consagrados de carrocerias. Os crossovers são fruto desta mistura, podendo ter características de diferentes tipos de carros.

BMW X6 tem características de Cupê e Utilitário esportivo.

E você, já escolheu seu favorito?