Impacto Profundo Dicas

Impacto profundo

Olá, pessoal! Hoje vou falar de um assunto que dá muita dor de cabeça aos motoristas: os buracos, que deixam o ato de dirigir parecido com andar em um campo minado. Agora, no verão, a temporada de chuvas faz com que os buracos se multipliquem e aumentem de tamanho. Por isso, vou dar algumas dicas para evitar que as irregularidades da pista acabem com seu carro e com o seu humor!

Primeiro, é importante perceber o quanto um piso acidentado pode prejudicar seu amado possante. Buracos e irregularidades exigem muito do veículo. O primeiro a sofrer é o pneu. Ao passar por buracos ele pode sofrer vários tipos de danos, como cortes ou a formação de bolhas, que aparecem quando a estrutura interna do pneu é danificada. Algumas vezes o impacto é tão forte que até as rodas podem amassar ou trincar.

A suspensão também é exigida ao máximo. Componentes como buchas, bandejas e amortecedores podem ser danificados ao passar por um buraco profundo. Mesmo que as peças não sejam quebradas, existe um sério risco de que o alinhamento da suspensão seja alterado. Por isso, se você desconfia que o piso está fazendo seu carro sofrer, faça uma boa revisão da suspensão e confira o alinhamento pelo menos a cada 10.000 quilômetros.

Por último, as vibrações e solavancos chegam ao interior do carro, causando desconforto nos passageiros e barulhos irritantes. Os solavancos, aos poucos provocam folgas no acabamento interno do carro. São essas folgas que causam aquela sinfonia de barulhinhos que ninguém suporta. Ou seja, até o painel, o acabamento e as portas de um carro sofrem devido à má conservação das nossas ruas e estradas.

O que fazer, então, para minimizar os efeitos devastadores da buraqueira? A primeira dica é diminuir a velocidade. Quanto mais rápido você passar por um trecho irregular, mais fortes serão os impactos. Seu carro vai agradecer um pouco menos de pressa naquela fatídica rua esburacada que você tem que atravessar todo dia.

Também é importante ficar atento ao piso. Eu sei que já temos coisas demais para prestar atenção enquanto dirigimos, mas procure conhecer e memorizar os buracos e irregularidades do seu caminho diário para tentar evita-los.

Para preservar seus pneus, mantenha-os com a calibragem correta. Você pode até pensar que um pneu um pouco mais vazio seja mais “macio” para rodar. Mas ao passar por um buraco profundo, um pneu mais vazio pode ser danificado com mais facilidade, além de proteger menos as rodas do impacto. Vale lembrar que rodar com os pneus abaixo da pressão adequada acentua o desgaste deles e aumenta o consumo de combustível.

Outra dica importante: muitas vezes freamos ao avistar um buraco. Devemos reduzir ao máximo a velocidade antes de atingi-lo (quando não for possível ou prudente desviar). No entanto, se o impacto vai acontecer, solte os freios. Passar pelo buraco com o freio acionado aumenta imensamente o esforço da suspensão.

Vias de paralelepípedo merecem atenção redobrada. Não somente porque provocam vibrações, mas porque a aderência dos pneus é menor nesse tipo de piso. Isso significa que frear sobre paralelepípedos requer mais espaço do que frear sobre o asfalto. Por isso, reduza a velocidade neste tipo de piso. É bom para o seu bolso e para a sua segurança. Na chuva, os paralelepípedos se tornam bastante escorregadios, por isso, aumente a distância do carro da frente e reduza ainda mais a velocidade.

Todos os dias, vias em condições precárias causam prejuízos, acidentes, e, no mínimo, submetem você e seu carro a um stress desnecessário. Redobre a atenção, reduza a velocidade e cobre providências da secretaria de obras ou de trânsito da sua cidade! Cuidado aonde pisa e boa viagem!