brinquedo_gente_grande Editorial

Brinquedo de gente grande

Já reparou que muitas vezes o automóvel parece ser um brinquedo para adultos?

Algumas provas: a gente coloca laço para presente em carro zero quilômetro. A gente também dá nome para o possante como se fosse membro da família (alguém aí se lembrou dos nomes dos bichinhos de pelúcia?) e, para completar, muita gente fica feliz em passar a tarde de domingo lavando a caranga.

James Brighton com a sua Hummer H3 “dirigido” por controle remoto.

 

As crianças que não nos ouçam, mas brinquedo de verdade é carro. Nada melhor do que um motor e quatro rodas para fazer um adulto pular de alegria ao adquirir, chorar quando raspar e cuidar todo dia como o brinquedo mais valioso da estante. A paixão por automóvel é o melhor exemplo de como a infância sobrevive depois dos 18 anos.

Repare na cara de surpresa de qualquer adulto ao se deparar na rua com uma Ferrari ou uma Lamborghini. É a mesma expressão de uma criança ao ficar frente a frente com seu super-herói. Aliás, muito marmanjo de terno e gravata se sentiria em um parque de diversões se pisasse no acelerador de um superesportivo só para escutar o ronco do motor.

Que jogue a primeira bola o adulto que, ao entrar em um carro novo pela primeira vez, não revirou todos os cantos do possante para descobrir cada porta-treco, botão e acessório. É quase uma brincadeira de Caça ao Tesouro.

E, como todo bom brinquedo, o ciúme é essencial e inexplicável. Qual dono de carro não sente uma pontinha de nervoso ao ver outra pessoa no seu banco do motorista? Emprestar brinquedo na infância é difícil, mas permitir que um amigo dirija seu veículo é uma das maiores provas de amizade que alguém pode dar.

Tem também os motoristas que se transformam em crianças levadas na direção. Quem nunca deu uma aceleradinha na hora que alguém ia abrir a porta só para tirar sarro? Ou deu voltas e voltas em torno da rotatória?

A legislação pode obrigar a ter mais de 18 anos para guiar e, claro, muita prudência na direção. Mas, de verdade mesmo, sentir paixão por carro é algo exclusivo para quem ainda se lembra de como é bom ser criança.

Para os adultos que entendem do que estamos falando, feliz Dia das Crianças!